Fisiologia da Micção

 

A bexiga é um órgão ímpar que desempenha as funções de armazenamento e esvaziamento da urina e é formada pelo músculo detrusor (que está sob o comando do Sistema Nervoso Autônomo - involuntário). Durante a fase de armazenamento, a urina é acumulada dentro da bexiga e sob o volume de 150-200 ml é sentido o primeiro desejo de esvaziar a bexiga que pode ser voluntariamente adiado por um período considerável. A sensação de plenitude aumenta e então escolhe-se local aceitável para a micção.

A bexiga recebe inervação dos dois segmentos do sistema nervoso autônomo: o simpático tóraco-lombar e o parassimpático sacral. O sistema nervoso autonônomo parassimpático é responsável pela contração do músculo da bexiga e o simpático é responsável pela inibição da contração do músculo da bexiga.

À medida que a bexiga começa a encher, estímulos excitatórios são levados até a musculatura lisa da uretra e da base da bexiga e estímulos inibitórios para a musculatura lisa do corpo vesical. Isso significa que há contração do esfíncter da uretra e relaxamento da musculatura da bexiga para que não haja o ato miccional. Quando é tomada a decisão de urinar, impulsos nervosos são liberados e causam a inibição da excitação do nervo pélvico e nervo pudendo. Logo, o esfíncter da uretra relaxa junto com o assoalho pélvico e acontece o ato da micção. Os nervos parassimpáticos provocam a contração da musculatura da bexiga para a urina sair.

Tanto o armazenamento quanto o esvaziamento adequados são necessários para que haja CONTINÊNCIA URINÁRIA que também é obtida por outros fatores, tais como:  

·         Mecanismo uretral intrínseco

·         Mecanismo uretral extrínseco

·         Mecanismo de suspensão (ligamentos)

·         Mecanismo de sustentação (músculos)